Milhares de jovens ouvem Freire em palestra

Publicado por Roberto Freire | Categoria(s): Brasil | Em: 24-05-2010

* Fotos: Milton Michida

Roberto Freire falou neste domingo para cerca de quatro mil jovens na Zona Oeste de São Paulo, a convite da Associação Educar para a Vida, dirigida pelo médico e deputado estadual Marcos Zerbini e sua mulher Cleuza. Foram duas palestras, às 7h e às 10h, reunindo a cada uma delas aproximadamente dois mil jovens. 

O casal dirige com outros moradores a Associação dos Trabalhadores Sem Terra de São Paulo (ATST), que conduz um movimento por moradias, que já existe há mais de 20 anos, e reúne atualmente 17.500 famílias. Freire discorreu sobre o tema Liberdade, objeto da reunião dos jovens. 

O presidente nacional do PPS disse que a política está em crise e que o mundo passa por mudanças. Ele deu o exemplo da recente descoberta de cientistas americanos que conseguiram o feito de criar vida artificial através de uma bactéria, “como uma descoberta inédita que indica o progresso da ciência, mas que também é motivo de preocupação”. 

Se referindo indiretamente ao tema liberdade, Roberto Freire recordou o período de exceção que o país atravessou, em uma época hoje distante para os jovens que assistiam a palestra. 

Falou sobre o exílio e o associou à situação enfrentada no passado pelo pré-candidato a presidente da República, José Serra, que precisou abandonar o país e se exilar no Chile. “A ninguém é permitido impor sua verdade. Todos têm que fazer as suas escolhas livremente. Serra passou por isso, foi perseguido e teve de abandonar o país. O exílio é uma prisão sem grades”, disse o presidente do PPS. 

Para ilustrar as mudanças pelas quais o mundo está atravessando, Freire citou o texto que serviu como guia do tema debatido, assinado pelo padre Julián Carrón, que dirige o movimento católico Comunhão e Liberdade, inspirador das iniciativas da Associação Educar para a Vida. Nele se conta a parábola bíblica do filho pródigo, no qual são mencionadas as cidades de Alexandria, hoje Istambul, e de Éfeso, na Grécia. 

“Estive nessa cidade grega de ruínas belíssimas e que me impressionou muito porque no passado era um cidade litorânea e hoje se encontra a centenas de quilômetros do mar. Isso demonstra que o mundo também mudou fisicamente”, disse Freire, que ao final foi bastante aplaudido pelos jovens. 

A Associação Educar para a Vida foi criada para possibilitar aos jovens cursar universidades privadas por não ter acesso às universidades públicas. Reúne cerca de 60 mil estudantes que recebem bolsas de estudo, de 20% a 60%, negociadas pela associação, que oferece ainda um convênio médico para 25 mil associados, além do movimento por moradias. 

No intervalo entre uma e outra palestra, Marcos Zerbini acompanhou Roberto Freire a uma visita ao Bairro de Peruche, onde a Associação dos Moradores Sem Terra de São Paulo, constrói  moradias em regime de financiamento a baixo custo. A ATST faz a compra coletiva de áreas de terra e orienta os futuros moradores a juntar dinheiro para construírem no loteamento.* Texto: Silvano Tarantelli

Comente