No Congresso Nacional, PPS terá 12 deputados federais e um senador

Publicado por Assessoria de Imprensa | Categoria(s): Brasil, política, sao paulo | Em: 27-12-2010

O PPS vai atuar no Congresso Nacional a partir de 2011 com 12 deputados federais e o senador Itamar Franco (MG). No Senado Federal, onde o partido não ocupava nenhuma cadeira, agora terá um ex-presidente da República. O trabalho será árduo, mas a qualidade dos representantes do partido, com longa experiência política, promete fazer a diferença. Confira abaixo um breve perfil dos eleitos

Roberto Freire (SP)
Sinônimo de ética e seriedade na vida pública, o pernambucano Roberto Freire é presidente nacional do PPS e um dos mais respeitados políticos do país. Com experiência de um mandato como senador, cinco como deputado federal e um como estadual, é conhecedor dos problemas nacionais e reconhecido por toda a mídia como um político sério e competente. Foi escolhido pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) como um dos 100 “cabeças” do Congresso Nacional por 14 anos. Em sua atividade política também foi líder do governo de Itamar Franco e candidato à Presidência da República em 1989.

Arnaldo Jardim (SP)
Paulista de Altinópolis/SP,  Arnaldo Jardim iniciou a vida política como líder estudantil, na Escola Politécnica da USP, onde se formou em engenharia civil e lutou pela redemocratização do País. Sua vida pública começou em 1982 na campanha de Franco Montoro para Governador de São Paulo. Em 1986 foi eleito pela primeira vez deputado estadual, tendo sido reeleito para o cargo em outras três oportunidades. Em 2007 se elegeu deputado federal, sendo reeleito em 2010. Também foi secretário estadual de Habitação em São Paulo e, em 1994, foi candidato a vice-governador do estado. Foi presidente do PPS-SP e atualmente é vice-líder da bancada do PPS na Câmara.

Dimas Ramalho (SP)
Deputado Federal no seu segundo mandato, Dimas Ramalho é procurador de Justiça e já foi líder da bancada do PPS na Câmara dos Deputados. Natural de Taquaritinga-SP, se elegeu pela primeira para cargo eletivo em 1991, quando conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo. Foi reeleito deputado estadual nas duas eleições seguinte e, em 2002, conquistou sua primeira eleição para a Câmara dos Deputados. Também foi vice-presidente do Nossa Caixa – Nosso Banco, secretário estaudal de Habitação de São Paulo e secretário municipal de Serviços da Prefeitura de São Paulo.

Stepan Nercessian (RJ)
Stepan Nercessian é natural de Cristalina-GO. Filho de pais armênio e cearense interessou-se cedo pela política, aproximando-se do antigo Partido Comunista Brasileiro (PCB) com apenas 11 anos de idade. No final dos anos 60, Stepan foi para o Rio de Janeiro onde iniciou sua carreira artística. Já escreveu e dirigiu importantes programas e shows musicais. Participou ativamente das lutas pela redemocratização do país, como as campanhas da Anistia e das Diretas-Já. Pelo PPS, foi eleito vereador do Rio de Janeiro em 2004. Em 2008 conquistou o seu segundo mandato, com 50.532 votos. Assume pela primeira vez o mandato de deputado federal.

Cesar Halum (TO)
Goiano de Anápolis, o médico-veterinário César Hanna Halum iniciou sua carreira política no Tocantins em 1988, se elegendo vereador por Araguaína. Em 1996, foi nomeado interventor de da cidade, ficando no cargo até o dia 31 de dezembro do mesmo ano. Foi eleito deputado estadual em 2002, e reeleito em 2006. Chegou a presidir a Assembléia Legislativa no biênio 2005/2006. Foi vice-presidente do Parlamento Amazônico e Presidente da UNALE (União Nacional dos Legislativos Estaduais). Em 2010, César Halum foi eleito deputado federal com 39.827 votos, sendo  o quinto mais votado no estado.

Moreira Mendes (RO)
Paulista de nascimento, Rubens Moreira Mendes Filho, além de agropecuarista, é advogado militante em Rondônia desde 1972 e procurador aposentado da Assembléia Legislativa do Estado. Foi secretário de Estado da Administração de 1991 a 1993, Senador da República de 1999 a 2002 e é presidente do PPS de Rondônia. Em 2002 se elegeu pela primeira vez deputado federal. É vice-líder do PPS e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária. Reeleito com 35.500 votos, o parlamentar foi o quarto mais votado no estado e atribui a sua reeleição à atuação marcante em defesa da agropecuária e na discussão do Código Florestal brasileiro.

Alexandre Silveira (MG)
Mineiro de Ipatinga, Alexandre Silveira começou a exercer sua liderança desde cedo. Com 16 anos foi emancipado pelos pais para abrir e administrar sua própria empresa. Já em 2004, no primeiro governo de Lula, foi nomeado diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Nas eleições de 2006, se elegeu deputado Federal com mais de 147 mil votos, sendo o 5º mais votado de Minas Gerais. Presidiu a Comissão de Segurança Pública da Câmara e, em 2010, se relegeu deputado federal com 199.418 votos.

Geraldo Thadeu (MG)
Mineiro de Poços de Caldas, o dentista Geraldo Thadeu tem a política no sangue. O pai, médico, foi prefeito de sua cidade e amigo de Juscelino Kubitschek. Desde os sete anos de idade já o acompanhava durante as campanhas. Na faculdade de odontologia participou das mobilizações universitárias e de questões de interesse social da região. Em 1996 foi eleito prefeito de Poços de Caldas, numa disputa acirrada. Terminou o mandato com 87% da aprovação. Dois anos depois, em 2002, elege-se deputado federal com 67% dos votos válidos somente no município. Destacado defensor da área da saúde, se reelegeu em 2006 e 2010.

Rubens Bueno (PR)
Paranaense de Peabiru, Rubens Bueno iniciou a carreira política em meados da década de 1960, quando participou da resistência democrática ao regime militar. Em 1982 foi eleito deputado estadual, sendo reeleito em 1986. Na época foi reconhecido como o deputado mais atuante da Casa. Assumiu a Secretaria do Trabalho e Ação Social do Paraná entre 1987 e 1990, quando, criou a Universidade Popular do Trabalho. Em 1990, conquistou seu primeiro mandato de deputado federal. Em seguida, foi prefeito de Campo Mourão e, em 1998, conquistou outra eleição para deputado federal, tendo sido líder do PPS na Câmara.
Eleito secretário-geral do PPS em 2002, disputou a prefeitura de Curitiba em 2004 e o governo do Paraná em 2006. Também foi diretor da Itaipu-Binacional.

Sandro Alex (PR)
Nascido em Ponta Grossa em 1972, Sandro Alex é formado em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Juntamente com Marcelo Rangel, seu irmão e que hoje é deputado estadual, fundou a Rádio Mundi FM. Iniciou sua trajetória política em 2008, quando disputou as eleições para o cargo de prefeito de Ponta Grossa. Chegou ao segundo turno, mas não foi eleito, obtendo  49% dos votos válidos na disputa com Pedro Wosgrau Filho (PSDB), que concorria à reeleição. Em 2010 foi eleito deputado federal com 95.840 votos.

Cezar Silvestri (PR)
Natural de Guarapuava, Paraná, o engenheiro e produtor rural Cézar Silvestri elegeu-se para o primeiro mandato eletivo em 1990, quando conquistou uma na Assembleia Legislativa do Paraná. Foi reeleito nas duas eleições seguintes. Em 2002, elege-se deputado federal pela primeira vez. Na Câmara dos Deputados, foi vice-líder da bancada do PPS e titular da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização; da Comissão de Agricultura e Política Rural e da Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania. Em 2010, garantiu sua reeleição com 87.586 votos.

Arnaldo Jordy (PA)
Natural de Belém do Pará, Arnaldo Jordy foi líder estudantil nos anos 70 e 80 e fez parte da União Nacional dos Estudantes (UNE). Em 1987, elege-se pela primeira vez para a Câmara de Belém, reelegendo-se vereador por quatro mandatos seguidos. Foi candidato a prefeito de Belém por duas vezes. Em 2006, elegeu-se deputado estadual. Na Assembleia Legislativa conseguiu aprovar e transformar em lei vários projetos, entre eles a emenda constitucional que diminuiu o recesso parlamentar e acabou com o pagamento de convocações extras. Também teve atuação de destaque na CPI da exploração sexual contra crianças e adolescentes. Após conquistar 201.171 votos, assume o primeiro mandato como deputado federal.

Itamar Franco (MG)
Itamar Franco estreou na política em meados dos anos 50 nas fileiras do PTB. Foi candidato a vereador de Juiz de Fora em 1958 e a vice-prefeito dessa cidade em 1962. Após o golpe de 1964, Itamar se filia ao MDB e, em 1972, é eleito prefeito de Juiz de Fora. Em 1974, se elege senador da República por Minas Gerais, sendo reeleito em 1982. Durante o mandato, foi um ativo defensor da campanha das Diretas já!. No Colégio Eleitoral, votou em Tancredo Neves. Em 1986, disputa o governo de Minas e é derrotado por Newton Cardoso por uma diferença de 1% dos votos. Volta ao Senado para terminar o seu mandato que iria até 1990. Em 1989, elege-se vice-presidente da República na chapa de Fernando Collor. Com o impeachment de Collor em 1992, assume a Presidência da República e dá início a estabilização econômica brasileira, implementando o Plano Real. Em 1994, com popularidade recorde, elege Fernando Henrique Cardoso como seu sucessor. Quatro anos mais tarde é eleito governador de Minas Gerais. Agora, eleito com 5.125.455 votos, assume pela terceira vez o mandato de senador.

Fonte: Portal do PPS – http://portal.pps.org.br/portal/showData/192469

Comente